A insana demanda por um Nintendo Switch no Japão

Modo Noturno

Não bastasse o Nintendo Switch ser o console portátil mais poderoso do mundo, num país que praticamente vive com um portátil na mão, o novo hardware da fabricante de Kyoto ainda está prestes a ver o lançamento de dois dos jogos mais populares na pátria-imouto – Splatoon 2 e Monster Hunter XX.

Porém, enquanto milhares e milhares das já poucas unidades de Switch produzidas são enviadas para as prateleiras de América do Norte e Europa – onde evaporam num piscar de olhos – o Japão sofre mais ainda com a falta de estoque. Ter um Switch deixou de ser um objeto de desejo, se tornou uma corrida do ouro, onde milhares de pessoas estão dispostas a desidratar no sol quente de verão pela mera chance de comprar um console – caso tenham a sorte do seu lado.

Recebendo poucas centenas de unidades por semana, lojas de Tóquio estão organizando um esquema de loteria. Mas não para ganhar um Switch, para ter o direito de comprar um. Na Yodobashi Camera de Akihabara por exemplo, chegou um carregamento de 250 unidades no último domingo e a loja abriu uma loteria disponibilizando até 3127 números a serem sorteados.

Ou seja, a cada pouco mais de 12 pessoas na fila monstruosa que se formou, somente uma sairia dali com o console em mãos. Pra se ter uma ideia do sucesso do Switch no Japão, o PS4 demorou 46 semanas para alcançar a marca de 1 milhão de unidades vendidas na sua terra-natal. O Switch alcançou o mesmo número em apenas 17 semanas. E isso com os estoques limitados.

Os ânimos estão cada vez mais inflamados. Um usuário do Twitter postou “Se eu ficar jogando o meu Switch enquanto fico na fila da loteria do Switch, será que as pessoas vão me matar?”.

Mesmo com a grande possibilidade de sair sem nada, mais de 5.000 pessoas compareceram à loja. E não tá fácil pra ninguém, nem pra um veterano da indústria como Hideki Kamiya, que passou recentemente pela experiência de entrar na fila de uma loteria dessas e sair de mãos vazias. Felizmente, ele garantiu a sua cópia poucos dias depois.

Outros famosos tiveram maior sorte. A idol Negishi Ai do grupo PASSPO, fanática pela série Tales of, causou inveja neste domingo ao postar uma foto com o seu novíssimo Nintendo Switch.

O mesmo aconteceu com Kimoto Kanon, do SKE48, e Matsui Rena, ex-SKE.

A falta de estoque não é nem culpa da Nintendo, que tem corrido contra o tempo, muitas vezes pagando frete mais caro de avião para levar as unidades das fábricas às lojas o mais rápido possível. Acontece que o Switch surgiu num péssimo momento, onde o mercado se vê em falta de peças para montar chips de memória e telas de LED. A situação ficou tão complicada que a Nintendo vem brigando há meses diretamente com a Apple por essas partes. Ou seja, mesmo com a estrutura para produzir mais, eles simplesmente não conseguem por falta de material.

Aqui no Brasil, a situação é bem mais tranquila. Os preços exorbitantes, aliados ao fato do console ser region free – o que possibilita ao nosso mercado cinza importar unidades tanto de América do Norte quanto da Europa -, ajudaram a manter os nossos estoques bem abastecidos. Eu mesmo comprei o meu tranquilamente numa loja de games em shopping, no começo de maio. Porém, com a inevitável chegada “oficial” do console no país, provavelmente a preços ainda mais exorbitantes, que por sua vez levantarão o valor pedido no mercado cinza, eu lhe recomendo correr e pegar o seu Switch antes que o Brasil se torne o Japão.

Complexo
Criador do Loly.